E A VITÓRIA ESTEVE TÃO PERTO

EMPATE A ZERO NA MADEIRA COM NACIONAL

O jogo realizado no Estádio da Madeira revelou equilíbrio nos primeiros 15 minutos com Sérgio Ribeiro a ter a primeira chance de colocar a bola na área, mas, o lance perdeu-se.

O Nacional mostrava mais apetite pela posse de bola, mas, a União estava sólida e controlava os lances mais complicados da equipa da casa. A verdade é que os madeirenses estavam instalados no meio-campo ofensivo e a Oliveirense não estava a conseguir sair para o contra-ataque.


Aos 39 minutos, momento capital do jogo. Grande saída para o ataque, Sérgio Ribeiro fica na cara do golo, mas, falhou perante o guarda-redes. Agdon, na recarga também não conseguiu atirar para o fundo das redes. No mesmo minuto, Filipe Gonçalves, entrou de forma imprudente num lance dividido com um adversário e foi expulso com cartão vermelho directo.


Aos 43 minutos, os adeptos do Nacional já gritavam golo e Sérgio Silva, tirou a bola em cima da linha. Excelente intervenção do defesa central que logo a seguir sofreu uma falta duríssima. A Oliveirense queria que o intervalo chegasse rápido e chegou com um nulo no marcador.

Na segunda parte o Nacional aumentou a pressão, mas, até foi a União a estar perto do golo quando Bouldini, Sérgio Ribeiro e Elízio trabalharam bem na esquerda Agdon finalizar ao lado devido a um desvio da defesa.


Aos 53 minutos, mais uma jogada de golo cantado da Oliveirense com Agdon e Bouldini a teimarem em não marcar. Muita confusão na área e falta de clarividência na hora de marcar mantinham o nulo no marcador. Na baliza da União foi Bruno Vale a esticar-se todo para desviar a bola contra o poste.

Aos 67 minutos Bouldini saíu esgotado e entrou Marcos Júnior para refrescar a equipa. A Oliveirense estava unida, conseguia travar as investidas nacionalistas e as ocasiões de maior perigo para a defesa. Logo a seguir, aos 70 minutos mais uma bela jogada, com Marcos a assistir Agdon e o remate a ser parado pelas mãos do guarda-redes.

Aos 78 minutos, Bruno Vale voltou a ser firme e defendeu para longe um remate perigoso. A União estava determinada. Aos 82 minutos, Sérgio Silva tirou a bola em cima da linha de golo e na sequência da jogada, Fabinho também fez de guarda-redes e evitou que a bola fosse para o fundo da baliza.

Aos 87 minutos entrou Oliveira para fortalecer o meio-campo e Agdon saíu esgotado do terreno de jogo. Já em tempo de descontos, Bruno Vale e Sérgio Silva voltaram a ser decisivos.

Um ponto conquistado na Madeira frente ao Nacional, graças à entrega e União da nossa equipa que, mesmo com dez, manteve frescura física e lucidez. Segue-se o Feirense em nossa casa no jogo que encerra a primeira volta do campeonato da Liga Pro.

Vamos todos lotar o Estádio Carlos Osório a partir das 15 horas do próximo sábado.

  • Hóquei em patins

Leave a Reply