FAMALICÃO DERROTA OLIVEIRENSE POR 3-2

EFICÁCIA DECIDIU O JOGO

Filipe Gonçalves e Miguel Silva ficaram de fora do jogo em Famalicão porque estão com uma virose que os impediu de poder dar o contributo à equipa.
Aos 11 minutos primeira ocasião de perigo do jogo. Mohamed Bouldini trabalhou bem o lance e combinou com Fati, mas, o remate do extremo foi defendido pelo guarda-redes e pelo poste. Logo depois, Medhi rematou cruzado mas Defendi estava bem posicionado.
O Famalicão, com forte apoio do público, procurava assumir o domínio do jogo frente a uma Oliveirense bem organizada. Aos 17 minutos mais um ataque bem conseguido com Alemão a cruzar e a defesa a aliviar o perigo no momento em que Marcos Júnior se preparava para rematar.
Aos 19 minutos, livre perigoso sobre a ala esquerda a dar o 1-0 ao Famalicão. Bola bem batida pelo pé esquerdo de Feliz e após desvio ao primeiro poste Pathé Ciss inaugurou o marcador. Aos 25 minutos novo golo. Jogada pela ala esquerda com Fabrício a receber o cruzamento com o peito e a amortecer para Anderson que rematou forte e colocado para o 2-0.


Aos 28 minutos, mais uma investida de Alemão que cruzou para a área, a bola ficou no pé direito de Marcos Júnior e o golo passou um pouco acima da trave porque a bola foi desviada pela defesa. Do canto de Ricardo Tavares surgiu o golo da União. Bola batida ao primeiro poste e auto-golo de Ricardo.
Aos 35, logo após Fati falhar um remate na área adversária, o Famalicão saiu em contra-ataque e ampliou a vantagem para 3-1. Os centrais da Oliveirense foram batidos por Fabrício que ganhou a bola na área e assistiu Walterson pata o remate cruzado que abanava novamente as redes de Coelho.
Em cima do intervalo foi notória a falta de eficácia com Fati a recuperar a bola e a assistir Bouldini mas o marroquino não conseguiu bater Defendi.
Na segunda parte, Fati foi o primeiro a mostrar que a Oliveirense queria dar a volta ao jogo. O extremo fletiu da ala esquerda para o centro do terreno e rematou forte mas à figura. Marcos, lançado por Diogo Clemente, adiantou demais a bola e não conseguiu efectuar o remate. Estava melhor a União. Aos 55 minutos, Bouldini cruzou bem mas a defesa da equipa da casa aliviou o perigo.


Era preciso dar tudo para conquistar pontos e Agdon foi lançado em jogo para o lugar de Marcos. Sérgio Ribeiro entrou para o lugar de Medhi. A União passava a jogar com dois homens bem lá na frente. Mas, a equipa da casa era incisiva a atacar e Júlio Coelho fez duas boas defesas que mantinham a União a dois golos de pontuar.
A equipa de Oliveira de Azeméis revelava algum desacerto defensivo e o golo rondou a baliza após um mau atraso e na sequência de um canto. Valeu a falta de pontaria do Famalicão.
Aos 70 minutos a última alteração com a entrada de João Graça e a saída de Ricardo Tavares.
Aos 80 minutos, livre soberbo de Sérgio Ribeiro com a bola a sobrevoar a barreira e a ir direitinha à barra. Era um golo que recolocava a equipa na luta pelo resultado. Pouco depois, Coelho viria a ser outra vez um guarda-redes atento e defendeu para canto.
Já depois dos 90, golo de João Graça. Bouldini fez a jogada, Agdon acertou na trave e na recarga surgiu o 3-2. O último suspiro pelo empate não passou da barreira num livre de Sérgio Ribeiro. Nada mais havia a fazer.
Derrota por 3-2 e a luta pela manutenção continua.