UM PONTO NO ÚLTIMO MINUTO

AGDON GARANTIU O 1-1 NA PÓVOA

Foram 4 as alterações no 11 inicial em relação ao último jogo que valeu a derrota com o Sporting da Covilhã. Coelho regressou à baliza, Wellington ao centro da defesa, Clemente foi para o meio-campo e Miguel Silva rendeu Fati no ala esquerda.

Começou melhor a equipa da Póvoa com três ataques que colocaram em sentido a defesa da União. Wellington por duas vezes aliviou o perigo e Coelho fez uma boa defesa a um remate rasteiro.

Aos 12 minutos, um canto de Ricardo Tavares, batido ao segundo poste foi desviado por Filipe Gonçalves, mas, Emanuel defendeu para canto. Estava difícil o jogo, bastante mastigado no centro do terreno, com a equipa da casa a procurar sempre surpreender em velocidade as costas da defesa da Oliveirense.

Aos 26 minutos, excelente jogada entre Sérgio Ribeiro e João Graça com o lance a valer um pontapé de canto. Estava melhor a Oliveirense e a equipa trocava a bola com mais segurança. Mais uma boa iniciativa de Graça e Clemente solicitaram o remate de Agdon mas o avançado estava muito marcado.

Aos 37 minutos, Coelho foi enorme na baliza da União. Esticou-se todo, defendeu uma cabeçada que levava carimbo de golo e ainda deu o corpo ao manifesto para defender a recarga. Em cima dos 45 minutos, outra vez a experiência de Coelho a ser decisiva. O guarda-redes defendeu uma cabeçada após um canto e manteve o marcador a zero.

O início da segunda parte mostrou mais uma vez Coelho a brilhar na baliza. O guarda-redes saiu dos postes para anular a tentativa de golo de Rui Pedro. A resposta Oliveirense teve cruzamento de Miguel Silva para Agdon mas o Varzim conseguiu aliviar a bola da área. Mais um ataque por Alemão, novo cruzamento perigoso com a bola a passar na frente da baliza sem que ninguém desviasse para golo. Logo depois, Sérgio Ribeiro caiu na área, reclamou grande penalidade, mas, o árbitro não viu assim.

Aos 57 minutos, a bola rondou a baliza de Coelho após livre mas a defesa desviou para canto. Foi o aviso para o que viria a suceder. Canto batido ao primeiro poste com a bola a ser desviada de cabeça para o 1-0. Marcou Jeferson Bahia

Fati saltou do banco para o lugar de Sérgio Ribeiro, logo após o golo. Foi de uma jogada do extremo que nasceu um canto para a União. A bola batida por Ricardo Tavares foi direitinha a Mathaus. O central fez o que lhe competia mas o guarda-redes evitou o empate.

Aos 75 minutos a equipa passou a jogar em 4x4x2 com Bouldini no ataque a fazer companhia a Agdon, por troca com Ricardo Tavares, passando Clemente para lateral esquerdo. Logo depois canto com Mathaus a rematar mas a bola passou ao lado do alvo.

Aos 86 minutos, Bouldini seguia isolado parava baliza e foi derrubado em falta. Lance para cartão vermelho directo para Sandro.

A última aposta passou pela saída de Filipe Gonçalves e a entrada de Diogo Valente. A equipa voltou a ter Clemente no meio e Diogo foi para lateral esquerdo.

A União lutava pelo golo e a luta valeu um ponto. No último lance do jogo, Bouldini conquistou o pontapé de canto. A bola foi batida para o coração da área e após alguma confusão Agdon foi o mais clarividente e rematou para o fundo das redes. Importante golo do avançado brasileiro que deu à Oliveirense um ponto muito importante na luta pela manutenção da equipa na Liga Ledman Pro.

Na próxima jornada a Oliveirense recebe o Vitória de Guimarães B.