VITÓRIA SEGURA E INDISCUTÍVEL

OLIVEIRENSE GANHOU POR 8-4 AO MARINHENSE

O início de jogo pareceu perfeito, no primeiro mimuto a Oliveirense fez o 1-0 por Jorge Silva. Assistência do aniversariante Jordi Bargalló para o golo do português. Estranhamente, o empate do Marinhense surge no minuto seguinte, Puigbi parece mal batido pelo remate de Nico Carmona. O mesmo jogador viria a dar vantagem à equipa da Marinha Grande com um forte remate que entrou ao primeiro poste.

Surpresa no Pavilhão Dr Salvador Machado, numa noite com pouco público a apoiar a equipa da União.
Marc Torra, Bargalló, Xavier Barroso e Jorge Silva lutavam por inverter o resultado e estavam em permanência no ataque. Sem surpresa, o empate (2-2) saíu do forte remate de Barroso aos 7 minutos. O espanhol é muito eficaz nos remates a meia distância. Jorge Silva, viria a fazer o 3-2 a a bisar no encontro 1 minuto depois do empate. Jogo com muitos golos e a ser patinado a ritmo alto. Num contra-ataque mais uma igualdade no encontro. 3-3 por Filipe Vaz e 100% de eficácia nos remates para o Marinhense. Renato Garrido não estava a apreciar as facilidades defensivas e parou o jogo.

A trave tirou o golo a Marc Torra e o guarda-redes Nuno Peça evitou o remate certeiro de Ricardo Barreiros. Na baliza contrária, Xavier Puigbi deu o corpo à bola e evitou um golo que parecia certo. O público voltou a gritar golo num contra-ataque muito bem desenhado com Jordi, Pedro Moreira, e Pablo Cancela a assistir Barreiros que finalizou como desejava. Logo depois, Bargalló contornou a baliza e atirou ao poste.

Estava concentrada a equipa depois dos sustos e golos do Marinhense. A 5 minutos do intervalo 5-3 para a Oliveirense, novamente pelo capitão Barreiros mas, desta vez, com um remate forte e rasteiro. Era justa a vantagem da União. O endiabrado número 7 viria a fazer o 3° golo da conta pessoal, o 6° da equipa. Foi após uma jogada brilhante de Marc Torra com assistência do espanhol para o golo do português. Marc Torra viria a assistir o oportuno Pablo Cancela que atirou para o 7-3 com que fechou a primeira parte.

No segundo tempo, Domingos Pinho assumiu a baliza por troca com Puigbi, uma opção técnica que passa por dar minutos de jogo ao habitual suplente. Emanuel Silva também teve os primeiros minutos de jogo depois de não ter sido utilizado nos primeiros 25 minutos. Sempre com o apoio da Charanga da União, a Oliveirense mantinha o domínio do jogo e estava alerta para as ações do Marinhense. Apesar das tentativas de golo serem uma constante, a verdade é que o jogo baixou de ritmo, por opção da Oliveirense que procurava prolongar o tempo de ataque e gerir a vantagem de 4 golos.

Pedro Moreira num remate forte de meia distância fez o oitavo golo para a Oliveirense a 5 minutos do final do encontro. Remate forte com ação importante de Emanuel Garcia que cortou o campo de visão ao guarda-redes. O jogo viria a ter mais um golo para o Marinhense, remate sem hipótese de defesa para Domingos.

A Oliveirense cumpriu o objectivo definido para este jogo e venceu com competência e atitude por 8-4. O próximo jogo é este sabado às 21:30 horas no campo do adversário, o difícil Óquei de Barcelos.