DERROTADOS EM VISEU

OS ERROS DITARAM O RESULTADO DE 3-1

Mais iniciativa de jogo por parte da Oliveirense com o Académico de Viseu a ficar na expectativa e a tentar o contra ataque. Serginho ameaçou a baliza de Jonas com um remate rasteiro e forte à entrada da área que passou um pouco ao lado.

De um lance aparentemente controlado pela defesa da Oliveirense, surgiu o golo da equipa da casa. Mathaus e Coelho desentenderam-se e o central colocou a bola no pé esquerdo de Nsor que apenas teve de atirar a bola para a baliza deserta. Estava feito o 1-0 aos 15 minutos.

A reacção da Oliveirense sentiu-se e a equipa passou a jogar mais próxima do ataque embora nem sempre com a desejada clarividência. Agdon tentou o remate mas sem sucesso e João Amorim, de livre também não foi bem-sucedido e atirou por cima da barra.

Aos 25 minutos o árbitro Rui Costa fez uma pausa de 1 minuto para hidratação dos atletas devido ao forte calor que se fazia sentir no Estádio do Fontelo. A paragem trouxe mais lucidez à União mas ainda assim faltava capacidade de decisão nos últimos 30 metros. Na melhor jogada que a equipa de Pedro Miguel fez, com Oliveira, Diogo Sousa e Agdon a trabalharem a bola, para Serginho, no coração da área disparar forte por cima da barra. Ao intervalo o marcador estava em 1-0.

A segunda parte abriu com o empate da Oliveirense. A jogada foi construída pela ala esquerda e na insistência Agdon recuperou a bola, solicitou o cruzamento de Diogo Sousa e o lateral direito assistiu Fati na perfeição. O extremo cabeceou entre os centrais adversários e empatou o jogo 1-1. Motivou-se e cresceu com o empate o futebol da União e Serginho foi colocado na cara do golo por Agdon mas voltou a errar o alvo.

Contra a corrente do jogo o Académico voltava a liderar o marcador. Tavares e Mathaus abordaram mal a jogada e Nsor aproveitou o erro para bisar na partida e fazer o 2-1 aos 57 minutos.

Faltava mais de meia hora e a União lutava pelo empate. Aos 65 minutos o 4x3x3passou a 4x4x2 com a entrada de Érick Moreno para o lugar de Serginho. O colombiano passou a fazer dupla de ataque com Agdon. A 12 minutos do fim, entrou Miguel Silva para o lugar de Oliveira. Mas, não era tarde feliz para a Oliveirense. Após um canto a equipa voltou a não estar bem na defesa e sofreu o 3-1 a 10 minutos do fim. Um golo que praticamente sentenciou a primeira derrota da Oliveirense na Liga.

Pedro Miguel ainda lançou Sérgio Ribeiro para o lugar do esgotado Fati mas a substituição não teve efeitos práticos. A equipa lutou, criou lances de golo, não foi eficaz e perdeu o jogo por excesso de erros defensivos.

Texto da UD Oliveirense